City tour em Porto Príncipe

Quando se chega a Porto Príncipe, capital do Haiti, os capacetes-azuis brasileiros oferecem ao jornalista visitante um tour a bordo de urutus (veículos blindados) e em alguns bairros pobres. O novo hit agora é o bairro pobre de Cité Soleil. Na maioria das vezes, os jornalistas entram lá devidamente acompanhados (lê-se escoltados) pelos militares. Muito melhor é quando essa relação fica evidente para o leitor, um direito à transparência. Um exemplo é essa matéria estilo “gonzo” do repórter Rodrigo Lopes, do jornal Zero Hora.

“O cheiro é convidativo – antecipa alguém do grupo. Obviamente, é uma ironia. O estômago alerta para não continuar. À frente, cerca de 3 mil pessoas se amontoam no meio de uma ruela cercada por galpões de zinco, próximo ao porto da capital do Haiti, Porto Príncipe. O nome oficial é Marché Croix des Bossales, mas os brasileiros deram ao local um apelido mais pertinente: Cozinha do Inferno, uma das mais perturbadoras visões do Haiti”, registra o lead do texto.

O contingente que está no Haiti atualmente, a maioria composta de soldados gaúchos, começa a ser renovado em novembro. As matérias do Zero Hora, inclusive, puxam o ar da graça gaúcha no Haiti. Abaixo o link para o especial multimídi. No final da matéria, há o link para a galeria multimídia.

Galeria de fotos do Zero Hora

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s